domingo, 19 de outubro de 2008

FALE AO MOTORISTA SOMENTE O INDISPENSÁVEL

Já mencionei o quanto estou intolerante com pessoas e suas atitudes ultimamente?
Tenho refletido muito, ficado em silêncio, espreitando as pessoas e avaliando a postura que quero ter diante da vida e dos fatos. Tenho percebido nessas minhas reflexões, que tenho dado muita confiança a quem não deveria e tenho sido muito 'boazinha' e 'tolerante', o que dá margem para que as pessoas achem que vou sempre tolerar seus devaneios.
Mas não mesmo. Chega a um ponto em que você pára para pensar: "- Mas o que está acontecendo aqui? estou fazendo papel de boba."
É, sou sincera ao assumir uma parcela de culpa, afinal eu "dei corda" para fazerem isso comigo. Eu permiti que agissem comigo, como agem com os outros, que riem, acham graça e deixam para lá. Não impus limites.
Nunca, jamais e em tempo algum levante seu tom de voz comigo e coloque o dedo em riste na minha cara seja você, quem for. Ainda mais tratando-se de um estranho e em posição inferior. Se é esse seu tom normal de voz, acho melhor analisar uma maneira de abrandá-lo, pelo menos ao falar comigo, já que os outros não se importam, acham que é natural de sua personalidade, da sua origem nortista, de sua condição humilde, acham engraçado. Mas comigo, a resposta será dada na mesma altura.
Porque não costumo levar desaforos para casa ou seja lá para onde for. Desaforos já bastam os que tenho que aturar em casa. Não tenho sangue de barata, tenho sangue vermelho quente correndo nas minhas veias. A minha aparência ostenta fragilidade mas é só mera ilusão.
E não me venha depois dar uma de vítima e de arrependido pedindo desculpas. Não as aceito. Nem adianta dizer que perdoar é nobre, é Divino. Eu, enquanto terrena, não perdoo. Cansei de perdoar. As pessoas se acostumam a falar ' a palavrinha-mágica-que-mamãe-ensinou' enquanto pequenos, como se isso reparasse todos os seus erros e pecados. Mas não se habituam a pensar antes de agir e falar. Já bastam as chances que dou e relevei. Não reclame, se falo e não surte efeito, eu canso. Aliás, me canso muito rápido, também já disse?

Mas valeu a lição, mais uma que vamos aprendendo durante a vida.
"Quem se junta aos porcos, farelo come".

Agora minha postura e filosofia empresarial será baseada nas das empresas de ônibus: 
"Fale ao motorista somente o indispensável".

2 comentários:

hiperborico disse...

Eu tô o contrário. Ando tao tolerante, que tô parecendo meio bobona...
:S

Nana Colbert disse...

Nossa, que post ótimo! Amei!

O foda é a gente nunca aprender a se prevenir de certo tipo de gente.

Eu pelo menos tomo um bocado na cabeça antes de cair na real.

Beijo, Chris!